Tutorial de Desenho com Técnica Mista: Trafalgar Law.

Para aqueles que desejam aprender um pouco mais sobre técnicas e materiais de desenho,  fiz abaixo um passo a passo de um desenho que fiz utilizando 3 materiais no mesmo trabalho: aquarela, nanquim e lápis de cor. Comumente, estes são os materiais de desenho que mais utilizo.

O personagem que escolhi  chama-se Trafalgar Law ; ele faz parte da série do mangá e anime intitulado One Piece. Ao estudar o personagem observando-o nas HQs e no desenho animado, colhi imagens para estudo da figura e de sua personalidade.

Imagens para estudo do personagem e composição:

O fato de eu optar por mais de uma material na composição de um desenho é porque cada um dará a possibilidade de representação de texturas e efeitos visuais diferentes para o que eu almejo representar no meu desenho.

Segue a lista do que usei para desenhar:

Primeiro, fiz um desenho com lápis grafite. Utilizei papel branco sulfite tamanho A4 e gramatura 150 g/m² e utilizei lápis grafite 6B da marca Staedtler série ‘Tradition’. Com o lápis grafite, eu delineei e representei o luz e sombra com técnica de hachurado (com linha) traçando de forma regular e irregular. No cenário eu misturei as linhas para criar o efeito de “sfumatto”.

Após desenho finalizado, sobre o mesmo coloquei outra folha de papel e o levei para a mesa de luz. Fixei ambos com fita crepe para as próximas etapas.

Com aquarela preta bastante diluída fiz um tom de cinza suave para o zíper do casaco e a parte clara do detalhe negro da espada. Com aquarela ocre criei os tons de metal dourado dos brinco que o personagem usa e o acabamento em metal da sua espada que também é dourado. Com o vermelho de cádmio da Winsor&Newton fiz o ‘sageo’ vermelho que circunda o ‘saya’ de sua ‘katana’. E para representar o volume deste “barbante” (sageo) eu usei também aquarela da Winsor&Newton na cor marrom ‘burnt umber’.

Em particular, gosto muito de aquarelas pastosas em bisnagas da Pentel porque com elas você poderá criar várias pastilhas e paletas de cores diversas. Podendo assim, você não se preocupar se determinada quantidade de tinta da cor criada acabar, não corre o risco de errar o tom na mistura das cores. Mas prefiro trabalhar com elas em forma de pastilhas. Assim eu tenho mais controle do volume de pigmento proporcional a coloração que quero.

Finalizada a coloração com aquarelas, parti para a coloração com lápis de cor.

Com os tons de cinza, fiz a volumetria do chapéu; como na pelúcia da espada, com traços curtos representei as sombras da textura da pelúcia de pelo curto. Seguindo a risca a técnica do hachurado: onde mais claro menos camadas, e onde mais escuro mais camadas de hachuras.

Com nanquim deve-se ter cuidado redobrado. Com aquarela que há um tempo de secagem pode-se modelar a mancha e o tom, pode-se retirar quase 100% da aquarela do papel. Com lápis de cor pode-se apagar. Mas com nanquim não tem ‘perdão’. Se errar, errou e será necessário adaptar o desenho ao erro ou perde-se o desenho.

Qualquer dúvida ou detalhe que você não entendeu e/ou quer saber mais, deixe seu comentário! Terei alegria em responder-te.  🙂

law_color

Advertisements