Introdução à Proporção Áurea – Breve História e Princípios Teóricos

          Proporção Áurea, no desenho artístico, é técnica para harmonizar composições. Pelos registros históricos, estes princípios teóricos e práticos da proporção áurea originou-se na Grécia, século VI a. C. na Escola de Pitágoras. Os princípios da busca do equilíbrio de partes diferentes é o princípio da harmonia. Esta palavra “harmonia” tem origem grega; o termo grego ‘harmos’ significa juntar. Partindo da observação da Natureza, os pitagóricos perceberam que não há uma regularidade nas formas; a métrica, a simetria, a matemática são invenções do homem; a Natureza possui outro tipo de composição e sua própria matemática; seus padrões que partem dos princípios da harmonia. Dentre os estudos dos pitagóricos, há um tratado de amplo conhecimento e aplicabilidade universal que é chamado de Deca Pitagórica. Era um tratado composto de 10 compilados com fundamentos matemáticos que exprimia de forma teórico-matemática a origem manifestada do mundo em que vivemos, a criação e recriação do Universo manifestado. O tratado relativo à proporção áurea está no compilado de número 6, chamado de Teorema da Harmonia. Para entender melhor o 6º teorema, é necessário conhecer o anterior, o de número 5, chamado de Teorema do Limite ou do Homem.

Teorema Nº 5 – Do Limite ou Do Homem:

De maneira sucinta, o teorema de número 5 aborda o despertar da consciência e do limite das coisas, seu símbolo é a estrela de 5 pontas voltada para cima e o algarismo indo-arábico cinco 5 é também seu representante equivalente na matemática que iremos utilizar. No desenho, faz-se necessário tomar consciência do nosso limite, do limite dos nossos recursos materiais, do tamanho de área da superfície em que vamos desenhar, do que somos como desenhistas e onde queremos chegar. E este teorema tem a seguinte afirmação traduzido para nosso idioma: “O ilimitado emerge do limite” . Ou seja, a partir de que a consciência chega a nós por meio da razão, poderemos ser mais e melhor; conhecendo nosso limite, conheceremos também todas as nossas infinitas possibilidades. As limitações não são apenas restritivas mas também são criativas.

Teorema Nº 6 – Da Harmonia:

O teorema de número 6 que iremos explorar mais a fundo, aborda a harmonia como princípio inicial na busca do equilíbrio, e num patamar mais elevado, a busca da perfeição. As proporções da Natureza, que é também parte de nós, constituem limitações partilhadas que criam relações harmoniosas baseada nas diferenças. É dos princípios da harmonia criado pelos gregos que derivam os conceitos de beleza. Segundo o teorema de número 6, “a parte menor está para a maior assim como a parte maior está para o todo” . Partindo deste conceito iremos criar composições harmônicas, na busca da beleza e perfeição artística.

A Geometria da Natureza:

A ciência matemática que conhecemos é dividida em três segmentos: aritmética, geometria e álgebra. Euclides de Alexandria é tido como “Pai da Geometria”; a chamada Geometria Euclidiana é aquela que conhecemos e usamos no desenho; com duas e três dimensões com formas regulares e simétricas, as quais usamos para compor cenários e desenhar objetos. Quando se trata de representar a Natureza (animais, plantas e pessoas) usaremos uma geometria não euclidiana; ou seja, serão formas que possuem duas e três dimensões porém, não serão com formas regulares e simétricas. E é nesta composição da geometria da Natureza que utilizaremos proporção áurea. Abaixo poderemos observar respectivamente um círculo, uma esfera e a representação de uma laranja. Notaremos a diferença entre a geometria euclidiana com duas e três dimensões e a geometria da Natureza, não euclidiana.

Fontes das imagens: http://www.google.com

Referência Bibliográfica:

READ, Herbert, Sir. O Sentido da Arte. Editora IBRASA; tradução E. Jacy Monteiro. 8ª edição. São Paulo – SP. 1978.

DOCZY, György. O Poder dos Limites: Harmonias e Proporções na Natureza, Arte e Arquitetura. Editora Mercuryo; tradução Maria Helena de Oliveira Tricca e Júlia Bárány Bartolomei. São Paulo – SP. 1990.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

w

Connecting to %s