Minha Homenagem: Fire

Quando eu estava iniciando ações para retomar meu sonho de trabalhar com Histórias em Quadrinhos (HQs), comecei a reler e estudar os estilos e personagens do mercado dos ‘comics’.

Parei, pensei: quem ou o que irei desenhar?

Após rever alguns heróis de HQs clássicas, vi na ‘entrelinha’ das imagens uma personagem que não notara antes. Fiz uma breve busca no Google (báááásico) e consegui mais informações sobre aquela personagem feminina.

Seu nome: Fire da Liga da Justiça Internacional. As imagens pareceu-me recentes; mas, ao aprofundar minha busca, descobri que é uma personagem de longa data!

Originalmente chamada de Fúria Verde, foi criada pelo roteirista Edward Nelson e pela desenhista Frandon Ramon em 1979. Sua primeira aparição foi na edição Super Friends #25 em outubro daquele ano. Nesta versão, possuía poderes místicos de controlar a respiração, através dela, lançava uma chama verde, permitindo que ela pudesse voar e pousar como um foguete.

 

GreenFury

Super Friends #25 – out. 1979. Arte: Frandon Ramon

 

Seu nome, fora das atividades de super-heroína, é Beatriz da Costa  era presidente da filial brasileira da empresa Wayne Enterprises (resumindo: ela trabalhava para o Batman e foi treinada por ele).

Posteriormente, tornou-se membro dos Guardiões Globais na luta contra o mal.

Como a maioria dos heróis da DC Comics, após a famosa saga Crise das Infinitas Terras, ela foi repaginada, passou a se chamar Beatriz Bonilla da Costa, sua profissão era de modelo e passou a trabalhar para o sérvio secreto de espionagem brasileiro. Seu codinome mudou também, passando a se chamar Green Flame. Essa transformação foi publicada na série de HQs Origens Secretas (1986 – 1990).

Os tons de verde de seu uniforme permaneceu. Porém, seu visual mudou completamente e muitas vezes durante estas décadas.

 

Green-Fury-Green-Flame-Fire-dc-comics-8306264-500-206

Evolução estética da personagem em 30 anos de publicação da DC Comics.

 

Com a medida em que as publicações foram avançando ao longo deste período, seu nome foi reduzido e passou a ser chamada nas edições de apenas Fire; e seus poderes resumiram-se a chama verde e poder voa. Ao invocar seus super poderes, todo o seu visual se modifica tornando uma imensa flama verde e lançava chamas com gestos manuais semelhantes ao Tocha Humana do Quarteto Fantástico da Marvel Comics.

Pensei comigo: é uma personagem interessante e pouco explora pelos artistas. (isso eu também constatei pela difícil e escassa pesquisa no Google). E decidi: vou criar minha versão para ela!

Observei as suas várias versões, enquanto lia e pesquisava sobre sua história.

 

Justice_League_Generation_Lost_16_Variant

Justice League: Lost Generation #16

 

Encontrei outra versão, esteticamente mais aceitável da personagem, e mais coerente com a realidade.  Foi a versão criada por Bruce Timm para  o desenho animado Liga da Justiça Sem Limites. Série esta que exibem as aventuras da Liga da Justiça Internacional dos quadrinhos da DC Comics. E em alguns de seus episódios ela faz suas aparições. Em particular nos três episódios da animação cujo título é I am Legion, ela está entre os personagem desta história da Liga.

 

Fire_shoots

Green Fire. Versão da série de desenhos animados ‘Justice League Unlimited’ da Warner Bros.

 

Após os estudos preparatórios, com lápis e papel na mão, pus-me a desenhar!

Minha versão mistura a da animação de Bruce Timm com a estética dos quadrinhos  dos anos 80. Até hoje, seu estilo recorda essa época , muito querida para mim, pois relembro de minha infância , o amor pelos desenhos, os quadrinhos, que trago comigo até hoje.

Usei tinta acrílica verde viesse da marca Acrilex para delinear o contorno das suas formas e linhas gerais do corpo. E colori a imagem com aquarela em bisnaga da marca Pentel. Num prato de louça branca, criei uma paleta com 8 tons de verde.

Apliquei na pintura do seu corpo os tons mais secos semelhante aos que Adi Granov usou para colorir a Mulher Hulk; para colorir suas chamas, usei tons de verde mais claros, abertos, criando efeitos de brilho e transparência.

 

greenfire_fan_art

Minha humilde versão e que hoje, depois de 4 anos, eu a desenharia bem diferente!

Se você se interessou por esta personagem, abaixo estão os links das imagens que usei nesta resenha e estas foram também minhas referências de estudo e composição para esta figura:

História da personagem: http://en.wikipedia.org/wiki/Fire_%28comics%29

Primeira versão dela: http://upload.wikimedia.org/wikipedia/en/2/2e/GreenFury.jpg

Trecho de um episódio da série animada onde ela aparece: https://www.youtube.com/watch?v=vT8WGx-RfgA

Endereço da web onde encontrei sua evolução estética desta personagem e onde você poderá encontrar de outros personagens da DC Comics: http://www.fanpop.com/clubs/dc-comics/images/8306264/title/green-fury-green-flame-fire-fanart 

Referências visuais:

http://dc.wikia.com/wiki/Justice_League:_Generation_Lost_Vol_1_16

http://dcanimated.wikia.com/wiki/Fire

Advertisements

iMAGINÁRIO! #6 – Luyse Costa e o resgate da História através dos quadrinhos.

Capa iMAGINÁRIO! #6

Capa iMAGINÁRIO! #6

No final do mês de julho de 2014 foi publicada a edição de número 6 da revista acadêmica iMAGINÁRIO!. Para mim, é uma alegria enorme fazer parte do Grupo de Pesquisa de Quadrinhos PPGC/UFPB coordenado pelo Prof. Henrique Magalhães e poder estudar, pesquisar e escrever sobre quadrinhos.

Nesta edição eu tive uma participação maior e mais significativa: fiz parte da equipe editorial desta publicação, o artigo principal desta edição foi escrito por mim, a capa é sobre o meu artigo e esta foi feita a 6 mãos: sob a arte de Luyse Costa (originalmente criada para a sua HQ intitulada Anayde Beiriz – uma biografia em quadrinhos) eu desenvolvi nova estruturação para a revista iMAGINÁRIO! e esta foi adaptada pelo Prof. Henrique Magalhães para o novo formato da publicação, mais longo na vertical.

O maior de todos os desafios foi escrever sobre Luyse Costa: sua produtividade é constante e quase que semanalmente tem algo que ela produziu sendo divulgado. Seja com ilustração, animação, quadrinhos… Nossa… meu artigo quando foi publicado já estava desatualizado. Neste artigo, eu falei que estava sendo produzido mais uma biografia em quadrinhos por Luyse (a de Augusto dos Anjos) quando a iMAGINÁRO! foi lançada esta HQ biográfica sobre Augusto dos Anjos já havia sido publicada; e inúmeras outras coisas, artes, desenhos que ela havia também já produzido e que ficou de fora do breve histórico da sua produção que eu escrevi. É quase impossível segui a produção de Luyse. Esta pequena notável que tive a alegria de conhecer e de conviver.

A revista iMAGINÁRIO! é publicação semestral de cunho acadêmico sobre pesquisas, resenhas e entrevistas de obras e autores de histórias em quadrinhos nacionais e internacionais, dos mais diversos gêneros e formatos.

Abaixo está o link da Editora Marca de Fantasia para você saber mais sobre esta publicação:

http://marcadefantasia.com/revistas/imaginario/imaginario-06/imaginario6.html 

Neste link tem um acesso para leitura e download desta publicação e dos números anteriores. A revista iMAGINÁRIO! é publicação gratuita e de livre distribuição! Boa leitura! 

Homenagem a STREET FIGHTER

 

Banner para divulgação na internet e nas redes sociais desenvolvido pela Gibiteca Santos.

Banner para divulgação na internet e nas redes sociais desenvolvido pela Gibiteca Santos.

Do dia 19 de julho ao dia 14 de agosto de 2014 a Gibiteca Santos acolhe a exposição Street Fighter por uns 50. Esta amostra coletiva traz desenhos de artistas de brasileiros e do exterior com as mais diversas interpretação de estéticas e estilos homenageando este que foi e é um dos maiores sucessos dos vídeo games mundiais. Esta exposição foi organizada por Denis DYM Freitas com auxílio de amigos, desenhistas, e outras instituições e colaboradores, montaram esta amostra coletiva.

Tive a alegria de ser um dos artistas convidados para compor esta exposição. Em especial, a alegria de rememorar o tempo que joguei o vídeo game Street Fighter II no Super Nintendo escondido de meu pai (que proibia isso), de rever a série de desenhos animados que foi exibida no SBT, assistir novamente os filmes longa metragens baseados no vídeo game… isto foi muito satisfatório e importante para inspirar-me na composição do meu desenho.

Alegoria que fiz pra homenagear Street Fighter.

Eu escolhi desenhar os personagens que me marcaram na adolescência. M. Bison o vilão mor do game Street Fighter II e dois dos seus integrantes da Shadaloo: Cammy White e Vega, e também, inseri na composição os três ‘mocinhos’ do mesmo game: Chun Li, Ryu e Ken Master.

Nesta composição eu utilizei aquarelas das marcas Pentel e Winsor&Newton da linha Cotman. Pincéis das marcas Pictore Tigre referência 182 (pêlo de orelha de boi) e da Série 7 da Winsor&Newton (pêlo de marta kolinsky). O papel que utilizei foi sulfite 240 g/m² na cor branca.

Abaixo tem um link onde você poderá ver todos os desenhos que foram produzido pra esta homenagem e conhecer também todos os artistas que participaram:

http://streetfighterporuns50.tumblr.com/

 

Na noite de abertura da exposição na cidade de Santos – SP, vários artistas participantes desta amostra estiveram presentes na cerimônia e promoveram uma sketchsession. Eu gostaria de ter estado lá nesta abertura de exposição! Mas, mesmo a distância, foi muito estar presente e participando!

street_fighter_foto_exposicao-3

Detalhe de algumas das artes em exibição.

street_fighter_materia_do_jornal

O jornal local reservou na publicação um espaço para a exposição aberta a visitação.

street_fighter_foto_exposicao

Visitantes presentes na noite de abertura da exposição na Gibiteca Santos.

street_fighter_foto_exposicao-2

Alguns dos artistas locais e desenhistas participantes da exposição na sketchsession na noite de abertura da exposição.