Entrevista: Art Thibert. (Interview: Art Thibert)

Este é o gentil e adorável Art Thibert.

Este é o adorável Art Thibert.

Atencioso para comigo. Adorável pessoa. Admirável sua carreira. Arthur ou “Art” Thibert é apaixonado pelo que faz. Com uma história não muito diferente de todos nós que trabalhamos com histórias em quadrinhos, mas com particularidades e grandiosidades de poucos, Art Thibert respondeu seis (06) pequenas e profundas questões ligadas à sua profissão de arte finalista, seu atual projeto independente atual e umas curiosidades que uma pessoa atrevida como eu perguntaria. Eu já admirava seu trabalho e depois de bater um papo com ele e trocar e-mail, eu o admiro ainda mais. É por causa de profissionais como Art Thibert que tenho orgulho em dizer que sou arte finalista. Espero que gostem desta pequena entrevista.

Paloma Diniz: Quais artistas influenciaram você de trabalhar em quadrinhos, ou que te levou a trabalhar com quadrinhos?

Art Thiebert: Eu sempre li gibis quando eu era criança. Acho que minha maior porta de entrada foi a de que série de TV Batman da década de 1960. Eu era um fã do Batman enorme para todos os meus primeiros quadrinhos foram Batman. Como primeiras influências artísticas Neal Adams e Gil Kane inspiraram-me, mais tarde, eram artistas como Art Adams, Kevin Nowlan e Burne John. Agora, a minha maior influência é Joe Bennett. Este desenhista é incrível, toda vez que eu faço arte final sobre seus desenhos eu aprendo muito.

PD: Você é desenhista, escritor e arte finalista. No Brasil, conhecemos mais o seu trabalho com arte finalista. Você prefere ser arte finalista? E a resposta sendo “sim”, o que o levou a ser um arte finalista?

AT: Eu nunca escrevi para os quadrinhos para o mainstream, mas escrevo meus próprios livros indy como Black & White e Chrono Mechanics. Também no passado, eu escrevi umas montagens de animação para programas de TV e, mais recentemente, eu estou escrevendo uma reinvenção de Black & White e adaptando o romance gráfico de Chrono Mechanics tanto como um romance e um roteiro de cinema. Atualmente, eu estou desenhando quadrinhos tradicionais – tanto pra DC quanto Marvel. Na verdade, eu comecei como desenhista da DC, eu desenhei Time Masters uma maxi-série e algumas edições de Warlord e Teen Titans Spotlight. Para a Marvel, eu trabalhei com Jim Lee quando ele foi o desenhista dos X-Men e posteriormente fui o desenhista de outro personagem dos X-Men, o Cable, em seu título regular. Você está certa, eu trabalho principalmente como arte finalista . Eu sou muito mais rápido como um arte-finalista, mas verdade seja dita, eu amo realmente observar o nanquim cobrindo o grafite! Mesmo quando eu desenho minhas próprias coisas, eu sempre as arte finalizo. Só assim eu sinto que o trabalho está completo. Eu acredito realmente que amo uma linha fina com tinta!

PD: Na sua opinião, qual é a diferença entre arte final artística e arte final digital? Qual a sua preferência?

AT: Eu gosto de utilizar tinta, caneta e pincel sobre a arte. Eu gosto do mais tradicional e orgânica. O uso do computador deixa o trabalho um tanto “falso”, não me parece honesto. No final do dia, com o trabalho tradicional tenho uma  arte original, com o uso de um computador eu terei apenas um arquivo. Eu não estou dizendo que eu nunca vou usar o computador, eu o utilizo agora para limpezas e às vezes para realçar os contrastes, mas realmente gosto da maneira tátil de colocar a tinta sobre o papel.

PD: As novas tecnologias, como por exemplo a Cintiq, irão substituir a arte final artística?

AT: Tanto quanto é, eu acho que é uma questão de preferência pessoal.

PD: Você falou comigo sobre projeto Chrono Mechanics estar no *Kickstarter. Por favor, fale mais a respeito. Esteprojeto pode chegar ao Brasil?

AT: É realmente uma pena que você não pode obter Chrono Mechanics no Brasil! Os livros originais sairam há alguns anos e, provavelmente, não foram amplamente distribuídos em outros países. A coisa boa sobre a Chrono Mechanics no Kickstarter é que ele vai permitir a todos o acesso a este material. O conceito de Chrono Mechanics é simples. Tempo é, literalmente, uma grande máquina, que foi construída no próprio tecido do tempo e do espaço. Como todos sabem, as máquinas quebram, e porque este é antiga – eu quero dizer muito, muito velha – ela quebra MUITO! A Chrono Inc. foi criada para monitorar e reparar esta máquina. Eles empregam diversos indivíduos ao longo do tempo (Time Repairmen / Reparadores do Tempo) para concertar esta grande máquina conhecida como TEMPO. Minha história centra-se na Equipe 9,2  do Setor 7 e suas façanhas hilariantes como os melhores Reparadores do Tempo que Chrono Inc. já conheceu. Eu estou muito animado com o site Kickstarter porque eu posso levar a um novo público (como o bom pessoal do Brasil) o maravilhoso e maluco mundo sci-fi de Chrono Mechanics! Será uma coleção com todas as histórias ja publicadas. Haverá também um monte de extras. Eu estou chamando a coleção, “Potholes in the Cosmic Road” ( algo como “Buracos na Estrada Cósmica”), eu estou esperando o resultado da arrecadação do Kickstarter na próxima semana (semana de 07 de fevereiro).PD: Para finalizar um pergunta de fã: Como foi fazer a arte final da revista A Morte do Super-Homem? Eu sou uma garota muito curiosa…
AT: Eu realmente não trabalhei como arte finalista na HQ da Morte do Super-Homem. Eu fiz lápis e arte final de algumas das capas. No entanto, eu também contribui para a produção das edições do noivado e casamento de Lois e Clark. Isto foi boa diversão!

Obrigado a todos pelo apoio da minha carreira, e não se esqueça de ir ao Kickstarter!

http://www.kickstarter.com/projects/1461073089/chrono-mechanics-potholes-in-the-cosmic-road?ref=home_location

Attentive with me. Lovely person. Brave your career. Arthur “Art” Thibert is passionate about what he does. With a history not unlike all of us who work with comics, but with a few peculiarities and acts marvelous, Art Thibert said six (06) small and deep issues of their profession inker, his current project and I, a curious, questions him. I’ve admired his work and after a chat with him and exchange e-mail, I admire him even more. It is because of professionals like Art Thibert which I am proud to say I’m inker. I hope you enjoy this little interview. Good read!

  1. Which artists influenced you to work in comics, or that took you to work with comics?

I’ve always read comic books when I was a kid.  I think my biggest gateway was that Batman TV series from the 1960’s.  I was a huge Batman fan so all my early comics were Batman.  As early artistic influences Neal Adams and Gil Kane inspired me; later were artists like Art Adams, Kevin Nowlan and John Burne.  Right now, my greatest influence is Joe Bennett.  This penciler is amazing; every time I put an ink line over his pencils I learn so much.

  1. You are writer, penciler and inker. In Brasil, we know your job with inker. Do you perfer to be inker? And the answer ‘yes’, what’s took you to be a inker?

I’ve never written for mainstream comics, but I write my own indy books such as Black & White and Chrono Mechanics.  Also in the past, I’ve written animation pitches for TV shows and most recently, I’m writing a re-imagining of Black & White and adapting the Chrono Mechanics graphic novel as both a novel and a movie screenplay.  I have done penciling for mainstream comics – both DC and Marvel.  In fact, I started off as a penciler at DC; I penciled Time Masters maxi-series and some issues of Warlord and Teen Titans Spotlight.  For Marvel, I followed Jim Lee as penciler on X-Men and later I penciled another X-Men character, Cable, on his own series.  You’re right, I mostly ink.  I’m a lot faster as an inker, but truth be told, I really love the look of things that are inked over just pencils!!!  Even when I penciled my own stuff, I always inked it.  It just feels more finished.  I believe I really love a finely inked line!

  1. In your opinion, that a difference between artistic inkslinger and digital inksliger? Which you choice?

I like to sling my ink with pen and brush on art board.  I like the more traditional and organic.  The computer feels phony to me; it doesn’t feel as honest.  At the end of the day, traditional leaves me with an original piece of artwork where a computer leaves you with a file.  I’m not saying I’ll never use the computer; I use it now for cleanups and blacks sometimes, but right now I really like the tactile way of putting ink down on a board.

  1. The new technology, for example Cintiq, it will substitute artistic ink?

As far as that is concerned, I think it’s a personal preference.

  1. You talked to me about Chrono Mechanics Kickstarter. Please, talk about more. These comics don’t come in to Brazil.

That’s a shame that you can’t get Chrono Mechanics in Brazil!  The original books did come out some years ago and probably weren’t widely distributed in other countries.  The good thing about the Chrono Mechanics Kickstarter is that it will allow EVERYONE access to this material.

The concept of Chrono Mechanics is simple.  Time is literally a big machine which was built into the very fabric of time and space.  As we all know, machines break down, and because this one is old – I mean really, really old – it breaks down A LOT!  Chrono, Inc. was created to monitor and repair this machine.  They employ diverse individuals throughout time (Time Repairmen) to fix this big machine known as Time.  My story focuses on Team 9.2 of Sector 7 and their hilarious exploits as the best Time Repairmen that Chrono, Inc. has ever known.

I’m looking forward to the Kickstarter campaign because I can bring a whole new audience (like the good people from Brazil) to the wonderful and wacky sci-fi world of Chrono Mechanics!  It’s going to be a traded collection of all the past stories.  There will also be a lot of extras.  I’m calling the collection, ‘Potholes in the Cosmic Road,’ and I’m hoping to get it up on Kickstarter sometime next week (week of February 4th).

  1. The question of fan: how to make the ink the of The Death of The Superman? I’m a curios…

I didn’t really work on the ‘death of Superman’ stories.  I did do pencils and inks on some of the covers.  I did; however, get to contribute to the engagement and wedding of Lois and Clark issues.  That was good fun!

Thanks to everyone for your support of my career, and don’t forget to go on Kickstarter!

Outras informações sobre Art Thibert:

http://en.wikipedia.org/wiki/Art_Thibert

Mais um pouco sobre o trabalho de Art Thibert:

http://comicartcommunity.com/gallery/categories.php?cat_id=653

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s